12 de jun de 2015

Capítulo 26 (Último Capítulo)

-Com Vanessa-

No outro dia, recebi uma mensagem no celular do Zachary, pedindo pra eu encontrá-lo num restaurante moderno no centro da cidade chamado Dixies. Hesitei por um momento, mas talvez ele estivesse tentando fazer as pazes. Me arrumei, vestindo minhas roupas habituais. Apesar dele já ter deixado bem claro na noite anterior que não gostava que eu mostrasse demais, vesti um de meus vestidos colados e decotados. Peguei minha clutch dourada e, quando cheguei no local, ele já me esperava, sentado numa mesa.
Zac: Oi.. - se levantou, me deu um selinho e puxou a cadeira para que eu me sentasse
Vanessa: Oi.
Zac: Você está linda.
Vanessa: Mesmo? - alfinetei
Zac: Mesmo. - ele sorriu sem graça - Me desculpe por ontem a noite. Fui um idiota
Vanessa: Tudo bem. - sorri, tocando a mão dele
A noite correu tranquilamente. Eu mal me lembrava que havíamos brigado na noite anterior. Tomando vinho, lembrei-me porque tinha me apaixonado por ele durante as conversas. Até que me levantei para ir ao banheiro e, enquanto caminhava, um homem me devorou com o olhar. Ele não tinha feito questão alguma de ser discreto, e o que me deixou sem graça. O Zachary percebeu, claro, e veio até mim.
Zac: Viu??? - perguntou meio irritado, me puxando pelo braço
Vanessa: Não comece, por favor. - pedi sussurrando - Não aqui.
Zac: Quer saber? - falou num tom alto
Vanessa: O que? - perguntei elevando meu tom também
Zac: Da próxima vez que eu te ver, não use esse vestido novamente. É muito revelador!
Vanessa: Pensei que adorasse esse vestido!
Zac: Da próxima vez, use alguma coisa que vá até os tornozelos. Ou que cubra-os.
Vanessa: Até parece! - gritei, e algumas pessoas nos observavam discutir, afinal, éramos os único em pé no restaurante
Zac: Use um vestido que cubra seus tornozelos… E use luvas longas e brancas, que vá até seus cotovelos.
Vanessa: O que? O que você está tentando fazer? Me esconder de todo mundo?
Zac:  E prenda seu cabelo e o deixe tão bonito quanto as roupas.
Vanessa: Você está ouvindo o que eu estou falando? Você é muito possessivo, não me sufoque desse jeito! Você está brincando comigo?!
Zac: É sério.
Vanessa: Você sabe que nenhum homem manda em mim.
Zac: E use um véu. - falou num tom mais carinhoso
Vanessa: O que?
Zac: Use esse anel também. - falou tirando uma caixinha de veludo do bolso, e ao abri-la, me deparei com um grande anel de diamante
Vanessa: ...
Zac: E se case comigo.
Então ele se ajoelhou ali, na frente de todo mundo, e pediu minha mão em casamento. Todos no lugar aplaudiram e ovacionaram o pedido dele, e eu fiquei sem reação. Levei as mãos a boca, surpresa, até que consegui dizer alguma coisa.
Vanessa: SIM!!!! - gritei, animada - Sim, sim, sim! Mil vezes sim! - sorri, e ele se levantou. Me tomou nos braços e me beijou apaixonadamente, colocando o anel no meu dedo logo em seguida

-Com Zac-

Dois meses depois, o grande dia finalmente chegou. Optamos por uma cerimônia intimista, apenas para os amigos mais próximos e família. Sob a escolha e o olhar minucioso e bom gosto da Nessa, o casamento aconteceu ao entardecer numa capela requisitada de Nova York. Cheguei na igreja, e estava incrivelmente ansioso. Nunca imaginara que eu pudesse me sentir assim por causa de uma mulher. Minhas mãos suavam e estavam inquietas, e eu já estava cansado de cumprimentar todos os convidados sozinho - queria ela do meu lado para isso. Enfim, depois de poucos minutos longos de espera, eu a vi adentrar a igreja. Todos se levantaram, e eu senti minhas pernas bambearem. Meu coração batia tão forte que eu tinha medo que  todos pudessem ouvi-lo. Ela estava linda. Não, era mais do que isso. Ela estava incrivelmente linda. O vestido de tecido leve com bordados em renda davam a ela um aspecto angelical, que se somavam ao penteado semi-preso e maquiagem delicada que ela usava. Enquanto ela caminhava até mim no altar, tive a impressão de que, pela primeira vez na vida,  eu estava fazendo a escolha certa.

-Com Vanessa-

Eu estava tão nervosa antes de chegar na igreja! Ao ouvir a marcha nupcial, minhas pernas bambearam. Então a imensa porta branca da igreja se abriu, e eu o vi. Ele tinha um sorriso tão sereno no rosto. Parecia nervoso e aliviado por me ver ali, caminhando até ele. Mas, pela primeira vez, ele estava sorrindo de verdade. Não aquele sorriso galanteador, que ele usava sempre quando estávamos nos momentos íntimos ou quando ele queria conquistar as mulheres em sua época de solteiro. Um sorriso sincero, que dizia "Sim, eu quero viver com você pra sempre."
Cheguei finalmente ao altar, e depois de cumprimentar o Charlie, ele tocou minha mão. Sorri para ele da forma mais terna possível, e nos viramos para o padre celebrar a missa. Após alguns sermões, era a hora de fazermos nossos votos.
Zac: Nessa... - ficamos de frente um para o outro - Eu prometo que nunca mais vou reclamar de seus vestidos curtos. - todos riram - Prometo que não te chamarei mais de tagarela... Você se tornou uma parte de mim e eu não saberia viver sem te ter ao meu lado. Eu espero que a cada toque meu, a cada beijo que compartilharmos você sinta o quanto eu te amo. Te amei quando você sorriu, te amei quando você me mostrou como viver melhor, te amei no primeiro olhar.
Vanessa: Eu prometo que nunca mais vou te chamar de orgulhoso e prepotente, embora você seja as vezes. - ele fez uma careta e eu sorri - Prometo que não vou ficar brava com você por tudo quando só estiver brava por uma coisa. Quando eu te conheci tive a certeza de que tinha que ir atrás daquilo que eu queria. Deixei meus medos só para estar com você. Ultrapassei obstáculos, cidades e países, mas meu amor só aumentou, cada dia mais e cada dia de uma forma diferente. Com esta mão espantarei as suas tristezas, sua taça nunca estará vazia pois eu serei o seu vinho. Com esta vela iluminarei seu caminho. E com esta aliança peço a você que seja meu.
Zac: Eu prometo amá-la seriamente, em todas suas formas. - me olhou, sério - Agora e para sempre. Prometo que nunca vou esquecer que esse é um amor para toda a vida. E sempre sabendo na parte mais profunda da minha alma, que não importa que desafios venham a nos separar, sempre encontraremos um caminho de volta para o outro. Prometo defender o nosso amor e estimá-lo acima de qualquer coisa. Prometo ser compreensivo, tolerante e paciente. Prometo cuidar de cada uma das suas necessidades. Prometo respeitá-la e amá-la completamente. Não importam quais obstáculos enfrentemos, o meu amor por você se manterá intacto, forte e perfeito. Enfrentamos tantas coisas juntos, que não existem maneiras de um dia chegarmos ao fim. Nosso amor é eterno e se eternizará.
Vanessa: Me comprometo a ajudá-lo a amar a vida, a sempre abraçá-lo com ternura e ter a paciência que o amor exige. Prometo falar quando as palavras forem necessárias e compartilhar o silêncio quando não forem. Prometo discordar em concordar sobre o bolo. E viver no calor de seu coração. Prometo chamar de lar o espaço entre os teus braços e te beijar todos os dias de manhã. Prometo te fazer feliz e te querer feliz mesmo longe de mim. Prometo a você o meu amor eterno! Eu me comprometo a amá-lo seriamente, em todas suas formas. Agora e para sempre. Prometo que nunca vou esquecer que o nosso amor é um amor para toda a vida. E sempre saber na parte mais profunda da minha alma que não importa quantos desafios podem querer nos separar, sempre encontraremos o caminho de volta para o outro. Sempre teremos o nosso amor para nos refugiar, sempre teremos a paz de olhar um nos olhos do outro e saber que não precisamos de mais nada, tudo o que precisamos está naquele breve espaço do olhar.
Então, depois da permissão do padre, ele me beijou. Todos aplaudiram, emocionados, o final da cerimônia. Não ficamos para a festa, e embarcamos logo para o destino da nossa lua de mel: na Itália. Mas, desta vez, em Roma. Entramos no avião particular da CIA, presente de casamento do Charlie, e nos beijamos animados.
Zac: Dá pra acreditar? - ele sorriu, me olhando - Marido e mulher!
Vanessa: Sim! Acho que em algum lugar entre todas as nossas risadas, longas conversas, briguinhas estúpidas, e todas as nossas piadas, eu me apaixonei.
Zac: Não tenho mais coração, Nessa. Você a destruiu. O que restou de mim, o que sobrar de mim, seja lá o que for, eu sou seu!
Aeromoça: Desejam alguma coisa?
Zac: Uma cama para três, por favor. - falou olhando-a
Vanessa: Zac!
Zac: Hahaha. Tô só brincando, amor. - ele me beijou novamente
Alguns dias após voltarmos da nossa maravilhosa lua de mel em Roma voltamos a trabalhar na CIA em diversas missões juntos eramos parceiros na vida e no trabalho!!
Porque era assim que sempre deveria ter sido... Parceiros!!

FIM

♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥


É... e assim chegamos ao fim de mais uma fic!! :D
Nesse capítulo eu dei uma mexida porque pra mim tava meio vago

esses votos deles então dei uma "incrementada" :D

A sinopse da próxima fic já está disponível: Aulas de Amor
E ainda hoje se tudo der certo, posto o primeiro
capítulo pra vcs!!
Obrigada pelos comentários e até a próxima fic!!

11 de jun de 2015

Capítulo 25 (Penúltimo Capítulo)

Zac: Eu sei que minha fama chega antes de mim nos ouvidos das pessoas. Tudo bem, isso é minha culpa. Mas eu queria que você soubesse que eu realmente amo a Vanessa, e não há nada nesse mundo que eu possa fazer para machucá-la. Eu prefiro cortar um braço à vê-la chorando por minha causa.
Charlie: Vejo verdade em suas palavras, rapaz. - se levantou e veio até mim - E é bom que você esteja sendo sincero mesmo. - me levantei também - Prometi ao pai da Vanessa quando ela ainda era apenas uma garota que a protegeria. Não faça com que eu me arrependa de ter prometido isso. - estirou uma mão, e eu a apertei
Zac: Eu sei disso e admiro o carinho que vocês tem um pelo outro. Mas eu realmente amo essa mulher. - ela abriu a porta bruscamente
Vanessa: Ok, não consigo ficar lá fora sabendo que vocês dois podem estar se matando aqui... dentro. - parou de falar quando viu nosso aperto de mãos amigável - Olha, eu não sei o que fez você mudar de ideia, Char. Mas estou feliz que isso tenha acontecido. - a abracei de lado
Charlie: Já que é inevitável.. - ele sorriu - Mas ele está avisado de que, caso te machuque, eu acabo com a raça dele. - me olhou - É sério.
Vanessa: Está tudo bem. Obrigada por se importar comigo. - ela o envolveu num abraço
Charlie: Já que estão aqui, tenho um convite a fazer. - esperamos e ele prosseguiu - Há um festa hoje que gostaria que fossem.
Vanessa: Que festa?
Charlie: Da Interpol.
Zac: Ah, não! Nem arrastado eu vou encontrar com os caras da Interpol.
Charlie: Eu sei que não nos damos bem com ele, mas veja isso como um convite de diplomacia.
Vanessa: Eu não vejo mal nenhum em ir. - me olhou inocente
Zac: Isso é porque você não os conhece como eu! - expliquei - Se você reclamava que os agentes da CIA eram mulherengos e cafajestes, eles são mil vezes pior.
Charlie: Bem, aqui estão as entradas, se mudarem de ideia. - nos entregou dois tickets, e ela me olhou. Droga, ela sabia que me olhando assim eu iria nessa droga de festa.
Zac: Anda, Vanessa. Já é quase meia noite. - falei impaciente sentado no sofá de sua casa, esperando enquanto ela terminava de se arrumar
Vanessa: Já estou quase pronta.
Zac: Quase? - bufei desanimado
Vanessa: Pronto, vamos. - apareceu colocando um brinco na orelha. Olhei-a de cima a baixo. Ela estava maravilhosamente... sexy. É, sexy demais. Eu não podia sair de casa com ela vestindo aquele micro vestido. Ainda mais leva-la para uma festa onde os caras do FBI estariam.
Zac: Você está linda. Está incrível... mas não pode usar isso. Seu vestido é... uau, suas pernas estão.. é curto demais, e isso aí é só metade de um vestido! E essa cor é...
Vanessa: Espera, espera. Você está reclamando do jeito que eu me visto, é isso?
Zac: Não, amor. Eu amo o jeito que você se veste, mas quero que seja só pra mim. Você sabe quantos caras vão querer ficar com você essa noite? Já era uma péssima ideia irmos a essa festa, com você irresistível assim é a pior ideia de todas. - ela sorriu
Vanessa: Só pensa como vai ser fácil tirar esse vestido depois. - falou, me dando um beijo na trave e me puxando pela mão
Zac:  Esse é o problema. Todos os outros caras lá vão ficar pensando a mesma coisa.
Chegamos então, na festa, e eu não desgrudei da Vanessa um segundo sequer. Ela percebeu isso, e começou a ficar irritada.
Vanessa: Por que tenho a impressão que você está comigo essa noite não por querer, mas por achar que deve?
Zac: Estou cuidando de você. - toquei a lateral da cintura dela - Você é um peixinho dourado num aquário de tubarões hoje, Nessa. Acho que ainda nãose deu conta disso.
Vanessa: Eu vou até o banheiro. - tentou sair mas eu a puxei - O que? Vai entrar no banheiro feminino também?
Zac: Tudo bem. - falei receoso - Te espero aqui.
Ela saiu e eu a acompanhei com os olhos. Eu e todos os cromossomos Y presentes naquele salão naquela noite. Minha vontade era de bater em todos aqueles idiotas que se atreviam a olhar para o chão onde ela pisava.
Vanessa: Wow! - falou ao sair do banheiro e dar de cara comigo - Zac!
Zac: Desculpe, vim me certificar que nenhum idiota tivesse vindo falar com você.
Vanessa: Zac, você está me sufocando. - falou passando por mim
Zac: Nessa! - a segui
Naquela altura, ela já tinha saído do salão e estava na parte exterior da festa. E eu estava atrás dela feito um cachorrinho.
Vanessa: Táxi! - pediu
Zac: O que? Pra onde você vai?
Vanessa: Pra casa.
Zac: Sozinha?
Vanessa: Sim, Zachary! Sozinha! Ou você está vendo alguém aqui além de você e do seu ego gigante?
Zac: Amor, eu só estou tentando te proteger.
Vanessa: Eu vivi 27 anos da minha vida sozinha. Eu sei me virar. O que você está tentando fazer é me transformar numa posse sua. - abriu a porta de um táxi
Zac: Não quero ficar brigado com você!
Vanessa: Manhattan, por favor. - pediu fechando a porta e o táxi arrancou me deixando sozinho
♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥
E chegamos ao PENULTIMO CAPITULO!!!
Só uma coisa a dizer:
DE NOVO NÃO!!!
Não pode ser que eles vão brigar de novo!!
Não, não e não!! Não aceito isso!!!
Comentem ai...

Beijos e até amanhã!!
OBS: Estou gamada nesse vídeo então no lugar da gif decidi
colocar ele... ♥♥♥



10 de jun de 2015

Capítulo 24

Gina: Sinto muito se falei algo que não devia. - falou nos acompanhando até a porta
Vanessa: Está tudo bem, mãe. Só tente manter a boca fechada. - ela sorriu, me abraçando
Vince: Foi um prazer te conhecer, Zac. - trocaram um aperto de mãos
Gina: Ok, ok. Vamos deixa-los ir, querido. - falou subindo as escadas puxando-o pela mão - Venha, estou a vontade hoje. Se é que você me entende. - ela levantou um pouco a saia e ao ver que ela estava sem calcinha ele riu, enquanto subiam as escadas
Alguns minutos depois, então, o Zac me deixou em casa.
Vanessa: Está tudo bem? Você ficou calado durante o jantar inteiro.
Zac: Está tudo bem. - puxou o freio de mão, parando o carro em frente ao meu prédio
Vanessa: Sinto muito por minha mãe
Zac: Está tudo bem. - repetiu
Vanessa: Então tá... - falei, dando um selinho nele. Abri a porta do carro para descer, e ele a puxou. Me assustei
Zac: Quantos foram?
Vanessa: O que?
Zac: Com quantos você já dormiu?
Vanessa: Eu não sei, não conto.
Zac: Foram tantos assim? - perguntou surpreso
Vanessa: Isso é mesmo necessário?
Zac: Não sei, é que parece que de repente... eu sinto como se não soubesse nada sobre você. - eu o olhei, pasma -
Vanessa: Você está falando sério?
Zac: Sim. Estou sendo sincero.
Vanessa: Não acredito que estamos discutindo porque eu supostamente transei mais vezes do que você.
Zac: Não é essa a questão. É que eu não gosto de imaginar você sendo tocada por outro. Outros.
Vanessa:: Eu estou com você agora. - toquei seu rosto - Não é isso que importa? - ele fitou o volante, sem conseguir me olhar - Tudo bem. - falei derrotada - É uma pena... Porque eu também estou a vontade hoje... - sai do carro, e enquanto subia as escadas do meu prédio, ele veio atrás de mim. O resto da noite, como sempre, terminou na cama.

-Com Zac-

Como havíamos assumido nosso relacionamento publicamente, chegou a hora de contar para o Charlie. Ele não era lá muito adepto à relacionamentos entre agentes dentro da CIA - certamente, já tivera muitas experiências frustantes se tratando do assunto. Inclusive comigo, na minha época de
devaneios com suas secretárias. A opinião dele, pra mim, na verdade, não importava muito. Ele era apenas meu chefe e nada mais. Mas o relacionamento dele com a Vanessa era maior que isso. Desde que o pai dela morrera, pedira a ele em seu leito de morte que cuidasse para que sua filha tivesse um futuro promissor. E ele o fez, ensinando a ela todos os passos do pai e tornando-a na agente excepcional que ela era hoje. Então, querendo ou não, a aprovação dele era importante pra ela. Pra
nós. Chegamos no escritório, e passamos junto pelo corredor indo em direção à sala do chefão. Inevitável e previsivelmente, os olhares curiosos de todos nos acompanharam, com um foco especial em nossa mãos entrelaçadas. Tirei os óculos escuros assim que ela bateu na porta dele.
Charlie: Oh, que surpresa. Achei que tinha dado férias a vocês dois. - falou abraçando a Nessa
Zac: Oi, Charlie. - o cumprimentei em seguida
Vanessa: Podemos entrar?
Charlie: Claro, entrem. - o fizemos e nos sentamos em duas cadeiras em frente à sua - À que devo a honra?
Zac: Estamos namorando. - falei na lata
Vanessa: Zac! - me repreendeu por minha falta de sensibilidade
Charlie: O que?
Vanessa: É verdade, Char. Estamos namorando. - assumiu inevitavelmente
Charlie: O que vocês querem dizer com "namorando"?
Zac: Bem, eu acordo pensando nela, então mando uma mensagem pra ela de bom dia. De tarde, saímos para almoçar juntos e pela noite jantamos em algum restaurante legal. Depois do jantar nós dois vamos para minha casa...
Vanessa: Amor, acho ele já entendeu. - falou segurando minha mão
Olhamos para ele juntos, esperando alguma reação, mesmo que negativa. Mas ele ficou quieto.
Vanessa: Então, Charlie.. Você não tem nada a dizer?
Charlie: O que você espera que eu diga, Vanessa? Você só pode ter enlouquecido. - me ofendi
Zac: Por estar comigo?
Charlie: Claro. Não me leve a mal, você é um dos meus melhores agentes e somos amigos. Mas sabemos que você não é homem de uma mulher só.
Zac: Isso mudou, Charlie.
Charlie: Mesmo? - perguntou descrente - Porque tive que demitir minhas últimas secretárias por causa de você.
Vanessa: Charlie...
Charlie: Nessa, você já é bem crescida. Sabe o que faz da vida. Mas não posso apoiar essa insanidade.
Vanessa: É muito importante que você nos apoie, Char. Você é como se fosse um pai pra mim.
Zac: Nessa, será que você pode nos dar licença um minuto? Queria levar um papo com o Charlie. - ela nos olhou preocupada - Sem problemas, flor. Só quero conversar. - ela levantou e se dirigiu até a porta
Charlie: É bom você ter bons argumentos, Zac.
♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥
Genteeee mortaaa com a mãe da Vanessa
Hahaha hahaha
Espero que o Charlie permita e apóie o
namoro deles ne!?
Comentem ai...
Beijos e até amanhã!!

9 de jun de 2015

Capítulo 23

-Com Vanessa-

Vanessa: Vem! - falei puxando-o pela mão
Zac: Isso é mesmo necessário? Quero dizer... E se ela não gostar de mim?
Vanessa: Minha mãe vai adorar você. - eu sorri, parando na frente dele
Zac: Tem certeza? Eu não tenho lá um reputação muito boa...
Vanessa: Deixa de besteira! - eu ri - Ela é meio sem juízo, mas é uma ótima pessoa. - sorri e apertei a campainha
Alguns segundos depois, a imagem de minha mãe - mais perua que nunca - abrindo a porta apareceu. Ela tinha os cabelos castanhos como o meu, mas curtos. Era extremamente vaidosa - acho que eu tinha herdado isso dela. Ela sorriu, espalhafatosa como sempre, e afogou o Zac num abraço demorado.
Gina: Como é bom finalmente te conhecer! - falou segurando-o
Zac: Digo o mesmo. - ele riu
Gina: A Van me falou tanto sobre você!
Vanessa: Mãe, pode soltá-lo agora. - ela o fez
Gina: Venham, entrem! Preparei um jantar pra vocês.
Vanessa: Você não sabe cozinhar, mãe. - lembrei-a
Gina: Tá, foi o Vince.
Vanessa: Vince é o marido dela. - expliquei ao Zachary, que sorriu com uma expressão tímida
Gina: Oh, não seja tímido! Pode se sentar. A casa é sua. - falou indo até a cozinha
Zac: Ela não é tão ruim quanto você falou. - falou pegando em minha mão
Vanessa: Oh, espere até ela começar com as perguntas indiscretas.
E não demorou muito para que isso acontecesse. Estávamos todos juntos sentados à mesa, provando as bistecas que o Vince havia preparado, quando a Dona Gina começou com sua indiscrição.
Gina: Então, quantas vezes vocês já transaram depois que se conheceram? - perguntou naturalmente, e o Zac se engasgou ao dar um gole da taça que tinha em mãos
Vanessa: Mãe! - a repreendi
Infelizmente, minha mãe era obcecada por sexo. Para ela, o mundo girava em torno dessas quatro palavras, e ela tinha a impressão que para todos era assim.
Gina: O que foi? - perguntou inocentando-se, enquanto eu ajudava o Zac a se desengasgar
Vince: Querida, acho que eles não querem falar sobre isso.
Gina: Oh, por que? O Zac tem problemas de ereção? - ele se engasgou novamente - Se for o caso, eu conheço uma clinica e...
Vanessa: Mãe! - gritei, tentando ajudá-lo novamente
Zac: O que? - tossiu - E-e-eu não tenho esses prob-b-blemas! - falou com dificuldade
Vanessa: Tudo bem, amor. Não dê ouvidos a ela.
Gina: Oh, meu caro. Está tudo bem, isso acontece com muitos homens. O primeiro passo para ser ajudado é aceitar ajuda.
Vanessa: Mãe, já chega, por favor.
Vince: Querida, podemos mudar de assunto?
Gina: Tudo bem, não está mais aqui quem falou.
Vince: Oh, Nessa! Fui até o porão essa semana e achei os seus pompons de líder de torcida. - mudou de assunto
Zac: Você era líder de torcida? - falou passando a mão em minhas coxas por baixo da mesa - Agora entendo de onde vem toda essa flexibilidade. - falou ao meu ouvido, e eu sorri
Gina: Sim, ela era. - sorriu - Eu adorava os seus pompons!
Vanessa: Eu lembro, você os disputava comigo. - brinquei
Gina: Eu só admirava tanto você animando as torcidas! E tinha um orgulho imenso de você. Todos aqueles caras do time de futebol atrás de você! Ainda bem que você transou com todos eles, não me decepcionou! - o
Zac largou os talheres sobre o prato, fazendo um ruído em meio ao silêncio que se instalara na sala de jantar após o comentário infeliz de minha mãe
Vince: Gina...
Zac: O time inteiro de futebol? - perguntou baixinho me olhando
Gina: Futebol americano!
Zac: Sério? - perguntou meio irritado e eu fiquei constrangida
Vanessa: Eu era só uma adolescente. - falei tentando tornar a situação menos embaraçosa -Felizmente, o Vince era sensível e interessante o bastante para distrair-nos e nos fazer esquecer da cena anterior enquanto nos entretia com suas conversas empolgantes. O jantar terminou, enfim, em paz, e pudemos ir pra casa.
♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥
Caracaaaa eu ri demais da mãe da Vanessa nessa capítulo!!
Perto da Gina o Zac é um santo tadinho hahahaha
A Vanessa pegou um time de futebol americano inteiro!?
E eu achando que o Zac que era galinha... hahahaha
Comentem ai...
A votação para a proxima fic começou hoje!!
Beijos e até qualquer hora!!

8 de jun de 2015

Capítulo 22

Vanessa: Então você e a Audrey...
Zac: Não! A Audrey é passado, Nessa.
Vanessa: Ai, meu Deus, que vergonha! Eu fiquei com tanto ciumes quando achei que você e ela tinham transado e não parei pra analisar os fatos, eu, eu sinto muito... - começou a tagarelar
Zac: Você ficou com ciumes? - sorri
Vanessa: De tudo que falei, isso foi tudo que você ouviu?
Zac: Sim. - me aproximei dela e tentei beijá-la -
Vanessa: Não, espera... - falou, confusa
Zac: O que foi? Não estamos resolvidos?
Vanessa: Nós ainda não podemos ficar juntos.
Zac: Por que? - perguntei, surpreso negativamente
Vanessa: Porque somos muito diferentes, Zachary!
Zac: Vanessa, eu estou apaixonado por você!
Vanessa: Não era pra você ter se apaixonado por mim! - falou entre lágrimas
Zac: Não era pra você ter sorrido. - ela ficou em silencio
Vanessa: Sinto muito. - enxugou as lágrimas que caiam incansavelmente - Não posso nem se quer sonhar em te ter, porque comigo você só poderia sofrer, porque sou complicada demais pra ser compreendida. Por isso, vou embora da sua vida. Essa é a maior prova de amor que posso te dar.
Zac: Não vou deixar você ir, Vanessa! Você não me ouviu? Eu te amo! Eu nunca conheci ninguém que me achasse bom o bastante, até que encontrei você. E você me fez acreditar nisso também. Então, infelizmente, preciso de você e você precisa de mim.
Vanessa: Não preciso não. - falou chorosa
Zac: Precisa, sim.
Vanessa: Não preciso.
Zac: Todo mundo precisa. - toquei a mão dela
Vanessa: Você não entende, eu... - fungou - Isso é impossível. Sou cheia de falhas, não sei me relacionar com ninguém por mais de um mês! Eu sei ser fria como ninguém, mas na hora de sentir me atrapalho toda! ‘Eis a garota que não sabe amar’, todos diziam.
Zac: Quem é que sabe amar sem ao menos tropeçar no próprio coração? - ela me olhou - Eu
te garanto que teremos dificuldades, eu te garanto que um dia um de nós, ou os dois vai querer pular fora, mas eu te garanto que se eu não te pedir pra ser minha, eu vou me arrepender pelo resto da minha vida. - ela me olhou, ainda meio confusa - Colabora, pô. Tá tão fácil me ganhar. - ela sorriu
Então ela me olhou nos olhos, e eu a tomei nos braços, beijando-a pela primeira vez como "minha".

-Com Vanessa-

Saímos do bistrô, e de lá fomos para o apartamento dele. Entramos em um prédio de luxo no centro de Manhattan, e seu apartamento era tão luxuoso quanto.
Vanessa: Belo apartamento. - sorri, me sentando no sofá
Zac: Obrigado. - ele sorriu, indo até a cozinha
A verdade era que nós dois estávamos sem graça. E com vergonha, de termos admitido em voz alta os sentimentos que tínhamos um pelo outro. Logo nós, que nos recusávamos a aceitar qualquer tipo de relacionamento duradouro. Lá estávamos, no apartamento dele, finalmente como um casal, e
eu não sabia o que dizer.
Vanessa: Nunca imaginei que nós dois chegaríamos a tanto. - cruzei as pernas, pegando uma taça de vinho tinto na mão dele -
Zac: Meu coração é um partidão. - ele me deu um selinho e se sentou ao meu lado
Vanessa: Você não acha que estamos cometendo um erro? - ele me olhou, desacreditado - Quero dizer... Não quero terminar te odiando no final das contas. Nem quero que você me odeie.
Zac: Eu nunca te odiaria, flor. - tirou uma mecha de cabelo do meu rosto
Vanessa: E se a gente tentasse ser amigos? - perguntei animada
Zac: Amigos eu tenho muitos. - tirou a taça de minha mão - Você eu quero na minha cama.
Então ele me beijou e me carregou. Me levou no colo até seu quarto, e deitamos juntos de uma forma delicada na cama. Então começamos a fazer o que sabíamos de melhor, mas de uma forma diferente. Todas as nossas transas anteriores haviam sido casuais e despretensiosas. Essa tinha sido... romântica. De certa forma, eu queria poder explicar o que sentia quando estava com ele, mas não conseguia. Sem parar de me beijar, ele brincava com meus cabelos enquanto a outra mão passeava livremente pelo meu corpo. Ele abriu o zíper do meu vestido com facilidade, e eu o ajudei a tirar a camisa. Ele estava deitado por cima de mim, e apoiava seu próprio peso nos braços. Então ele parou de me beijar, e me olhou por um segundo.
Vanessa: O que foi? - perguntei sem entender
Zac: Você é tão linda... - sorriu, brincando com os dedos em minhas bochechas

-Com Zac-

O jeito que os cabelos dela encobriam seu rosto parcialmente me davam uma visão privilegiada de quanta beleza aquela mulher desfrutava. Ela parecia ganhadora de uma loteria genética. Eu estava simplesmente encantado. Tinha vontade de ter aquela visão, dela, deitada em minha cama, pra sempre. Minhas mãos trilhavam um caminho já antes percorrido em seu corpo, e cada toque dela me dava uma sensação inexplicável. Imagino que isso seja o que chamam de "amor". Algo assim. Porque tudo que vivi e senti antes me parecia agora bobagem, brincadeira.
♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥
Só tenho uma coisa a dizer: ALELUIAAAA!!
É tão bom ver eles dois juntinhos de novo neh!?
Comentem ai...
Rafa eu não vou menti eu li seu comentário ontem
mas logo quando acabei de ler a moça chamou a Ashley pra apresentar
a performance da Vanessa... E depois acabei esquecendo.. hahahaha :D
Desculpe!!
Beijos e até qualquer hora!!
OBS: Vou deixar no canto superior direito do site
um link pra quem quiser ver todas as fotos e vídeos da participação
da Vanessa no Tony Awards!!

7 de jun de 2015

Capítulo 21

-Com Zac-

Duas semanas se passaram desde a ultima vez que eu a tinha visto. Eu havia voltado para minha antiga vida - mesmo apartamento no centro de Manhattan, dirigindo o mesmo carro, saindo com o mesmo tipo de mulher... Mas isso não me satisfazia mais. Todos os dias, antes de dormir, eu ficava repassando cada momento com a Vanessa e me perguntando se um dia eu a veria de novo. Lembrei-me do sexo sensacional, de nossos corpos tão próximos na praia que eu podia sentir sua respiração... Eu sentia falta dela, e era difícil de admitir isso. Infelizmente, ela não era uma das coisas que eu pudesse me desfazer. Conviver com um anjo me fez querer ter asas.

-Com Vanessa-

Enquanto eu travava uma batalha incansável entre meu coração e a razão, eu lutava para afastar as lembranças sussurrando a falta que ele fazia. Mas era necessário esquecê-lo e tudo que passamos juntos. Nossa história tinha sido um erro. Éramos de pólos diferentes, compartilhávamos planos de vida distintos e tudo isso não passava de uma grande perca de tempo. Mas meu coração se recusava a aceitar isso.
No início de uma manhã, recebi um telefonema. Era a Reese, dizendo que estava na cidade e que gostaria de almoçar comigo. Aceitei o convite e marcamos de nos encontrar em um bistrô. Me arrumei, e quando cheguei no local ela já me esperava.
Vanessa: Oi! - sorri ao cumprimenta-la
Reese: Oi! - ela respondeu, animada, e eu me sentei ao seu lado
Garçom: Gostariam de alguma coisa para beber?
Vanessa: Um vinho branco. E você, Ree?
Reese: Apenas um suco de frutas. - o garçom se retirou - Não posso beber. - ela me olhou, ansiosa
Vanessa: Por que? Oh, meu Deus! - sorri animada
Reese: Sim, eu estou gravida!
Vanessa: Que maravilha, Ree! Meus parabéns!
Reese: Estou tão animada! E com tanto medo!
Vanessa: Tenho certeza que você vai ser uma mãe maravilhosa.
Reese: Eu espero. - sorri
Vanessa: Como foi a lua de mel? - falei tomando um gole da taça de vinho que acabara de chegar
Reese: Foi ótima. Fomos pro Cairo, no Egito. Eu sei, não é um lugar tão romântico mas o Jim é historiador e queria muito conhecer.
Vanessa: É um lugar muito interessante, na verdade. Já estive lá. - sorrimos
Reese: Você... tem falado com o Zac?
Vanessa: Não. - meu sorriso se fechou - Não quero falar sobre isso.
Reese: Nessa! Não seja tão teimosa. Sei que vocês se gostam. E sei que ele sente sua falta. Porque ele me liga todos os dias para saber como foi o meu dia, coisa que ele nunca fez antes. Ele está tão solitário.
Vanessa: Não é problema meu, Ree. Nosso.. caso acabou. Foi um romance e pronto. Nós sempre teremos Paris. Só isso.
Zac: Eu sei que você acha que fica melhor sozinha. - uma voz falou e meu coração gelou. Tirei forças do meu mais profundo âmago e virei pra trás, vendo-o parado bem ali atrás de mim - Mas eu discordo dessa ideia.

-Com Zac-

Vanessa: Za-Zac. - me olhou surpresa - O que você está fazendo aqui?
Zac: Vim conversar com você. - me aproximei - E sei que você não aceitaria um convite meu se eu te chamasse, então... - olhamos pra Ree, e ela sorriu
Vanessa: Eu não tenho nada pra te dizer.
Zac: Mas eu tenho. - nos entreolhamos por uns segundos com uma tensão no ar
Reese: Acho melhor eu ir embora... - falou se levantando
Vanessa: Não, Ree. Você fica.
Reese: Tudo bem. - se sentou novamente, meio assustada
Zac: Não vou deixar que você vá embora novamente.
Vanessa: Eu te pedi pra me deixar em paz. - falou nervosa
Zac: Eu não vou te obedecer.
Vanessa: Talvez você devesse ligar pra Audrey. Tenho certeza de que ela adoraria sua companhia pra almoçar.
Zac: O que? O que a Audrey tem a ver conosco, Vanessa?
Vanessa: Tudo! - seus olhos começaram a ficar marejados - Eu vi vocês dois transando no banheiro no dia do casamento.
Zac: O QUE? - perguntei, incrédulo - Você ficou maluca? Eu nunca transaria no banheiro no dia do casamento da minha irmã! - a Reese me olhou - Tá, eu transaria. Mas não com a Audrey. Com você.
Vanessa: NÃO! Eu vi seu blazer pendurado na porta do banheiro, e você gemendo o nome dela!
Zac: Vanessa, era um casamento de dia, na praia! Você viu quantos ternos cremes haviam naquele lugar?  - ela me olhou, quieta - Olha, se você não acredita, pode ligar pra minha mãe. Eu fiquei com ela a festa toda, estendi a mão com meu celular
Reese: É verdade, Nessa. Eu o vi com a mamãe e a vovó a festa toda.
Vanessa: Mas eu ouvi a Audrey...
Reese: Nessa... - foi até ela - A Audrey é uma vadia, ela podia estar transando com qualquer um no banheiro.
Zac: Então foi por isso que você ficou assim? Achou que eu tinha transado com a Audrey? - eu sorri
Reese: Ok, agora eu realmente vou embora. Vejo vocês por aí, tchau! - a Reese saiu e eu a Nessa nos sentamos
♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥
Antes de mais nada quero avisar que já enviei os emails pra
que Zanessa 4ever e Liri possam escolher as fanfics,
por favor verifiquem se chegaram... Desde já agradeço!!
Agora quanto ao capítulo... Ainda bem que a Vanessa aceitou o convite da Reese
e também se abriu de uma vez com o Zac!!
E agora!? Espero que fiquem felizes juntos de novo... :3
Comentem ai...
Beijos e até qualquer hora!!
OBS: Vou deixar no canto superior direito do site
uma info sobre o Tony Awards que ocorre hoje (07/06) lá tem
todas informações (local, horário, canal de transmissão, etc) e opções de live stream
 pra quem quiser assistir!!

Capítulo 20

-Com Vanessa-

Cheguei na parte externa do galpão e vi um heliporto, com um helicóptero pequeno prestes a decolar. Vi Silvio Belucci entrando na cabine do piloto, com uma feição preocupada e uma maleta nas mãos. Certamente, já sabia que seu parceiro estava morto. Corri e me sentei ao lado dele quando a porta já estava prestes a ser fechada.
Vanessa: Lembra de mim? - falei, apontando uma arma pra ele -
Silvio: Você. - me olhou, preocupado, enquanto o helicóptero começava a voar –
Olhei pra baixo e vi o Zachary correndo para nos alcançar. Como não conseguiu, se segurou em uma das traves de pouso.
Vanessa: O QUE? - olhei pra baixo pela janela, ao vê-lo pendurado
Silvio: Largue a arma ou seu amigo morre.
Vanessa: Eu esperei muito por isso. Não vou deixar você se safar dessa. - falei, segurando a arma firme
Silvio: Você que manda. - ele sorriu, e quando estava prestes a apertar um botão no painel de controle, o Zachary apareceu por trás e deu uma coronhada na cabeça dele, o que fez com que ele desmaiasse
Vanessa: Você não cansa de estragar meus planos? - perguntei irritada
Zac: Como você pode ser tão cega? - perguntou, irritado também - Esse cara ia me matar e você ia deixar por causa de sua sede por vingança.
Vanessa: Ele estava blefando!
Zac: Ah, claro. - falou chegando o corpo dele para o lado e tomando o lugar de piloto
Vanessa: Isso não teria acontecido se você não tivesse me seguido.
Zac: Pare de tagalerar! - pediu - Você sabe pilotar isso?
Vanessa: Não.
Zac: Legal. Vamos todos morrer então. - falou pegando o celular no bolso - Charlie, temos uma situação de emergência aqui.
Zac: Talvez nós devêssemos acordar o Silvio e fazer ele pilotar esse troço. - falou, tirando o telefone do ouvido
Vanessa: Ah, claro. E depois ele pode te dar um tiro na cabeça.
Zac: Charlie, a primeira opção não é viável. Charlie, eu estou começando a ficar preocupado com isso. Charlie, se você não arranjar uma solução pro meu problema rápido eu vou entrar em pânico. Charlie? Charlie?
Vanessa: O que aconteceu?
Zac: Sem sinal. - ele me olhou
Vanessa: Ai meu Deus. - olhei pra baixo, e vi o mar
Zac: Eu já brinquei disso no playstation. Não deve ser tão diferente, não é?
Vanessa: Agora é oficial, vamos morrer.
Zac: Você tem outra opção? - gritou
Vanessa: O que você sabe sobre isso?
Zac: Sei que temos que parar totalmente antes de tocar o chão.
Vanessa: Estamos sobrevoando o mar, Zachary. Não tem onde pousar.
Zac: Olha, estou vendo uns prédios ali. Estamos perto de onde, exatamente?
Vanessa: Eu não sei. - falei, entrando em desespero
Zac: Certo. - se levantou, claramente mais calmo do que eu - Então é melhor a gente pular.
Vanessa: O QUE?
Zac: Eu não sei quanto a você, mas eu não estou disposto a estar nesse helicóptero quando ele se chocar em algum daqueles prédios. - falou, pegando o celular novamente - O sinal voltou. Charlie? Nós vamos pular.
Evacue os prédios do perímetro imediatamente, o helicóptero vai se chocar com um dos prédios da orla marítima. Ok. Tchau. - desligou
Vanessa: O que vamos fazer com Silvio Belucci?
Zac: Realizar seu sonho e deixar ele morrer aqui. - me olhou, com frieza - Tome. - me deu um colete salva vidas
Vanessa: E o seu?
Zac: Só tem um. - me olhou
Vanessa: Bem...Obrigada. - o vesti
Poncho: As damas primeiro. - me deu passagem, e eu parei na porta do helicóptero
Vanessa: Ok. - respirei fundo - Ok.
Zac: Me encontre lá embaixo. - falou passando por mim, e pulando de uma vez só

-Com Zac-

Chegamos em terra firme, e uma equipe preparada da CIA já nos esperava. Como esperado, o helicóptero se chocou com um arranha-céu que beirava a orla marítima, mas ninguém ficou ferido. Peguei uma toalha na mão do Charlie, e enquanto me enxugava, vi a Vanessa.
Charlie: Você explodiu um helicóptero e queimou um edifício, Efron.
Zac: É, eu estava sem balas.
Charlie: Bom trabalho. - ele riu
Zac: Obrigado. Mas vou precisar de um celular novo. - falei colocando o celular e todos os meus pertences na mão do Charlie
Zac: E de um relógio.
Zac: É. - vi a Vanessa passando há alguns metros de mim, embrulhada numa toalha com frio - Eu já volto.
Corri até ela e ela parou ao me ver.
Zac: Oi...  - parei na frente dela, sem reação
Vanessa: Eu mandei você parar de me seguir. - falou, segurando a toalha e sem me olhar
Zac: Sério? - perguntei, sem crer - Nós terminamos aqui?
Vanessa: Não se termina o que nunca se começou. - deu as costas
Zac: Então é isso? - ela parou de andar - É isso, não é? Você percebeu que estava deixando eu entrar no seu coração e resolveu se fechar em concha novamente.
Vanessa: Isso não tem nada a ver comigo. - falou, com raiva, se aproximando de mim
Zac: Sim, tem. Você está me banindo de vez de sua vida porque tem medo de se apaixonar.
Vanessa: Você não sabe de nada sobre mim. - falou, com lágrimas nos olhos - Nada.
Zac: Você tem razão. Você não se mostra.
Vanessa: Cale a boca.
Zac: Pelo que parece, você não me conhece também. - falei com o coração apertado
Vanessa: Oh, eu sei. Você é um canalha narcisista, idiota, vagabundo e egoísta. - falou me deixando de novo
Zac: Isso, fuja! - falei, me aproximando dela novamente - Eu vejo você por aí. Lembre-se de mirar no coração da próxima vez. - a olhei
Vanessa: Me deixe em paz. - falou seca, e eu simplesmente a assisti indo embora
♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥
Oiii...
Desculpem não ter postado ontem...
E meninas vou mandar essa semana
pra vcs a lista!!
Até eu senti um desespero deles
nesse helicóptero...
Ainda bem que ninguém se
machucou exceto o Silvio
foi bem feito pra ele!!!
Comentem ai...
Se tiver o mínimo de comentários
posto mais hoje!!
Beijos e até qualquer hora...